Terapias alternativas: o que são e como elas contribuem para a saúde

terapias-alternativas-como-contribuem-saude

As terapias alternativas, ou medicina integrativa, como também pode ser associada, são tratamentos que fogem do convencional e que buscam novos métodos para tratar da saúde e bem-estar de um paciente. Mesmo que seja reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), essa prática repercute em muitas discussões entre os grupos médicos.

A diferença em relação à medicina integrativa é que esse tratamento não trabalha somente a parte emocional do paciente. As terapias alternativas possuem muitas formas de cuidar do paciente e estão sempre procurando novos métodos para fugir da área médica tradicional.

Por isso, neste artigo vamos explicar como funcionam as terapias alternativas e iremos abrir discussão sobre os seus benefícios, tipos que existem no mercado e como elas ajudam aos pacientes que procuram ajuda. 

Se você ficou curioso e quer saber mais sobre o assunto, continue aqui e acompanhe! Boa leitura.

O que são terapias alternativas?

O nome “terapia alternativa” já remete a um tratamento a mais, que está fora da curva e foge do comum. Essa opção de cuidado com a saúde funciona como opção para os pacientes que já estão tratando de algum problema, mas querem investir ainda mais no seu bem-estar.

Mesmo que a OMS reconheça as terapias alternativas como métodos válidos, a comunidade médica indica que os pacientes somente recorram a esse tipo de tratamento como uma opção a mais, e não como recurso principal. 

Se a pessoa está com problemas como dores nas costas e no pescoço, o certo é procurar um médico ortopedista e fisioterapeuta. Após diagnóstico desses dois profissionais, o paciente pode ir em busca de uma terapia alternativa, como acupuntura. 

Quais os benefícios das terapias alternativas?

Mesmo que exista essa pequena observação por parte da comunidade médica, as terapias alternativas são excelentes apostas para quem busca investir em tratamentos que fujam do convencional. É comum ver esse tipo de procura por parte de pessoas que possuem doenças crônicas e já não querem mais continuar somente com as fórmulas tradicionais.

Os benefícios desta terapêutica são, em primeiro lugar, a busca por um método inovador para cuidar da saúde e do bem-estar. Além disso, essas alternativas procuram não trabalhar somente com a indústria farmacêutica, investindo em tratamentos homeopáticos e até mesmo na prática de exercícios físicos.

Ou seja, eles focam no autocuidado e nos tratamentos naturais. Podem existir opções que usem remédios e outros tipos de terapia, mas o maior benefício está na inovação (mesmo que pareça um pouco antiquado para algumas pessoas) de cuidar da saúde com métodos menos agressivos ao corpo.

  • Tratamentos inovadores, que fogem do tradicional;
  • Diminuição do uso de produtos químicos, farmacêuticos;
  • Incentivo ao autocuidado e tratamentos mais naturais;

Terapias alternativas: conheça 3 tipos

Que as terapias alternativas são opções interessantes para pacientes que querem sair do convencional, nós já entendemos. Mas, afinal, quais são os tipos de que existem no mercado e que podem ser uma aposta para as pessoas?

Separamos aqui 3 modelos bastante interessantes para que você conheça e veja se pode servir como tratamento alternativo para o seu problema:

  1. Homeopatia

As terapias alternativas, assim como a medicina integrativa, buscam equilibrar a energia do paciente e trabalhar com o emocional dele. Na homeopatia podemos ver um pouco disso.

Com a introdução de pequenas quantidades de remédios para curar um problema, esse tratamento procura diminuir a quantidade de produtos farmacêuticos no nosso corpo e fazer com que o organismo estimule os anticorpos para trabalhar contra o problema.

Feito com recorrência, o nosso corpo começa a criar resistência contra o problema e substitui a necessidade de remédios para tratamento. É uma terapia muito comum em crianças e até mesmo indicada por pediatras.

  1. Acupuntura 

A acupuntura faz parte das terapias alternativas mais antigas do mundo. Na história chinesa, esse tratamento era primordial para equilibrar as nossas energias e resolver problemas relacionados principalmente com estresse, dores físicas e até mesmo depressão.

Nos dias de hoje é usada como uma alternativa para tratamentos fisioterápicos e psiquiátricos. Pessoas que tensionam muito o corpo por causa de sua ansiedade podem recorrer a essa terapia como uma solução além de remédios.

  1. Ondas magnéticas

Por fim, existe também a terapia secundária de ondas magnéticas, que trabalha com a parte psicológica de uma pessoa.

Menos comum que a homeopatia e a acupuntura, este método consiste no uso de máquinas que irradiam ondas magnéticas para o nosso cérebro e ajudam no tratamento de doenças como depressão, ansiedade e afins. 

As ondas aceleram a condução de informações entre neurônios e faz com que muitas pessoas se sintam melhor, mais dispostas e felizes. Mas é importante ressaltar que é um tratamento que traz resultados apenas se vier intercalada com a ajuda de outros especialistas, como um psiquiatra.

Conclusão

Ou seja, as terapias alternativas são, sim, práticas autorizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e que podem servir como uma opção de cuidado com a saúde e bem-estar do paciente. 

Mesmo que existam incontáveis tratamentos no mercado, investir em uma opção menos agressiva para o nosso corpo, que cuide também do nosso lado emocional, pode ser interessante principalmente para quem trata de doenças crônicas e passa muito tempo pulando de médico em médico.

É importante destacar que esse método deve se intercalar com outros cuidados e que as terapias alternativas servem apenas como segunda opção.

Se você curtiu esse assunto e quer saber mais sobre medicina, cuidados com a saúde e muitos outros temas como esse, continue no nosso blog!

Gostou? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin