Terapias alternativas: o que são?

terapias-alternativas-o-que-sao

Pode ser que você já tenha ouvido falar em terapias alternativas, mas sabe o que elas realmente são e por que cada vez mais pessoas estão procurando por elas? 

Por mais que você tenha um plano de saúde individual ou familiar, onde tem acesso a medicina tradicional, pode ser que queira explorar terapias alternativas. 

Você procuraria um reflexologista se a sua asma piorar? Ou marcaria uma consulta com um profissional na área de balneoterapia caso tenha sofrido alguma queimadura? 

Por mais estranhas que pareçam, as práticas médicas alternativas estão ganhando cada vez mais força. Ainda mais durante a pandemia. É simples fazer um teste de covid e saber que está com o vírus, mas e depois? Segundo os protocolos oficiais do governo para covid, você deveria esperar em casa até ter uma piora dos sintomas para poder procurar um médico. Já nas terapias alternativas, pode aliviar e até evitar alguns sintomas.

Em geral, o termo “terapia alternativa” refere-se a qualquer tratamento de saúde não padronizado na prática médica ocidental. 

Além disso, as terapias alternativas – ou complementares – são difíceis de definir, principalmente porque o campo é muito diverso. 

Elas incluem mudanças na dieta e nos exercícios, hipnose, ajuste quiroprático e inserção de agulhas na pele de uma pessoa (também conhecida como acupuntura), entre outros tratamentos.

Para que você saiba mais sobre o assunto, reunimos neste artigo algumas das terapias alternativas mais conhecidas e que estão se tornando mais populares. 

Continue a leitura e confira! 

Descubra quais são as terapias alternativas mais populares

Aqui estão algumas das práticas de terapias alternativas que estão mudando a maneira como as pessoas abordam os cuidados médicos.

1. Acupressão

A acupressão é semelhante na prática à acupuntura (veja abaixo), apenas sem o uso de agulhas. Os praticantes usam as mãos, cotovelos ou pés para aplicar pressão em pontos específicos ao longo dos “meridianos” do corpo.

De acordo com a teoria por trás da acupressão, os meridianos são canais que transportam a energia vital por todo o corpo. 

O raciocínio sustenta que a doença pode ocorrer quando um desses meridianos está bloqueado ou desequilibrado.

Acredita-se que a acupressão alivie os bloqueios para que a energia possa fluir livremente novamente, restaurando o bem-estar. 

Existem alguns estudos sobre a eficácia da acupressão, sendo que um deles identificou que essa terapia pode ajudar a aliviar uma série de problemas, incluindo dor lombar incômoda, dores de cabeça e até mesmo dores de parto.

2. Acupuntura

Embora ler sobre essa prática da medicina tradicional chinesa possa imediatamente trazer agulhas à mente, o termo na verdade descreve a estimulação de pontos específicos do corpo.

A variedade mais conhecida consiste em penetrar na pele com agulhas finas controladas por um profissional, mas a estimulação elétrica também pode ser usada.

Já sabemos há algum tempo que a acupuntura pode ter resultados positivos na TPM, insônia e muitos tipos de dor, como dor de garganta e osteoartrite.

3. Aromaterapia

A aromaterapia usa óleos essenciais – extratos altamente concentrados das raízes, folhas, sementes ou flores de plantas – para promover a cura. É uma prática que remonta a pelo menos 5.000 anos atrás.

Os óleos podem ser inalados usando um difusor ou diluídos em um óleo carreador e massageados na pele. Alguns são usados ​​para tratar inflamações ou infecções, enquanto outros são usados ​​para promover relaxamento e calma.

Em ambientes clínicos, os pesquisadores se concentraram na aromaterapia para ansiedade, depressão, alívio da dor, náusea e insônia. 

Em um estudo de 2017, por exemplo, descobriu-se que a aromaterapia com alfazema promove o sono e reduz a ansiedade em pacientes com doenças cardíacas.

Nota: É importante considerar procurar por profissionais da área ao usar a aromaterapia. 

Alguns óleos essenciais podem ser perigosos para mulheres grávidas, crianças ou animais de estimação. Portanto, busque saber mais sobre o assunto e sempre procure por um especialista no assunto.

4. Medicina ayurvédica

Também conhecida como Ayurveda, essa modalidade se originou na Índia e existe há milhares de anos. 

Os praticantes usam uma variedade de técnicas, incluindo ervas, massagens e dietas especializadas, com a intenção de equilibrar o corpo, a mente e o espírito para promover o bem-estar geral.

Existem vários estudos que mostram resultados positivos para as práticas ayurvédicas específicas, como tomar cúrcuma para inflamação ou passar óleo de coco na boca para remover bactérias.

E não podemos esquecer o yoga, que é mencionado nos textos ayurvédicos. Nas pesquisas mais recentes disponíveis, a ioga tem mostrado repetidamente que aborda uma série de problemas de saúde mental e física, como: 

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Pressão alta;
  • Insônia, entre outros. 

5. Balneoterapia

Às vezes confundida com hidroterapia, a balneoterapia envolve o uso de água para fins terapêuticos. 

É um tratamento popular em vários países europeus até hoje, como nos banhos termais na Hungria, por exemplo. 

Essa terapia alternativa baseia-se na ideia de que a água beneficia a pele e pode tratar uma série de doenças, desde acne a dores, de inchaço à ansiedade. 

Os praticantes usam pacotes de lama, duchas e imersões longas na tentativa de colher as muitas recompensas da água. Por esse motivo, costuma ser chamada de “terapia de spa”.

A balneoterapia tem sido estudada por seus efeitos na dor crônica, com alguns resultados positivos. 

Por exemplo, um estudo de 2015 descobriu que a terapia de spa combinada com exercícios pode aliviar a dor lombar a longo prazo. Vale a pena notar, porém, os pesquisadores disseram que melhores estudos são necessários.

Os defensores da terapia citam as descobertas de que a água mineral pode estimular o sistema imunológico das pessoas ou ajudar na artrite.

Conclusão

Por um lado, o campo da medicina alternativa é vasto. Se parece que novas terapias e estudos estão surgindo o tempo todo, é porque eles estão.

É uma área em evolução e mais pesquisas em todas essas terapias são necessárias. 

Dito isso, a integração de alguns deles em sua rotina pode trazer benefícios sólidos à sua saúde. Afinal, há uma razão para alguns deles existirem há milhares de anos.

Porém, como sempre, é importante que você faça pesquisas, procure pela ajuda de profissionais e ouça o seu corpo – ninguém sabe disso melhor do que você.

Gostou? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin