saudicas-logo-350

Como saber se eu tenho anemia: quais os sintomas?

como-saber-tenho-anemia

Você já se fez essa pergunta: como saber se eu tenho anemia

Embora o diagnóstico seja feito por meio de exame de sangue, determinados sintomas podem servir de alerta, e se você perceber que apresenta algum deles, é importante consultar seu médico.

A anemia é caracterizada por uma deficiência em ferro e muitas vezes, é totalmente assintomática. 

No entanto, se ela se acentua, a pessoa pode ficar mais cansada, sem fôlego e ter dores de cabeça, entre outras manifestações.

Portanto, para tirar todas as suas dúvidas sobre anemia, reunimos aqui as principais informações: causas, sintomas, tratamento…

Como saber se eu tenho anemia: quais os sintomas?

A anemia por deficiência em ferro é bem tolerada pelo organismo, e não causa nenhum sintoma no início, porque ela se instala muito progressivamente.

Ela pode ser descoberta por um exame de sangue realizado por um outro motivo.

Contudo, se há uma redução significativa das taxas de hemoglobina, alguns sintomas podem aparecer e então você pode, pelo menos desconfiar sobre como saber se eu tenho anemia.

 E quais são esses sintomas?

Palidez da pele, gengivas e parte interna do olho;

Fadiga;

Ficar sem fôlego ao fazer esforço;

Falta de disposição;

Dores de cabeça;

Vertigens;

Sensação de “cabeça que gira”;

Falta de apetite;

Fraqueza ao se levantar de uma cadeira.

Por outro lado, os sinais característicos da falta de ferro são: pele e cabelos secos, unhas quebradiças.

Como saber se eu tenho anemia: quais os exames?

O exame para diagnosticar a anemia é o hemograma, associado à dosagem de hemoglobina (Hb).

Taxa de hemoglobina

Em adultos, a taxa de hemoglobina varia em função do sexo e período de vida:

  • 130 g por litro de sangue (ou g/l) para homens;
  • 120 g/l para mulheres;
  • 105 g/l para grávidas (a partir do segundo trimestre de gestação).

Em crianças, a quantidade normal de hemoglobina muda de acordo com cada etapa do seu desenvolvimento:

  • 150 à 180 g/l em recém-nascidos;
  • 115 g/l entre um e dois meses;
  • 105 g/l de dois meses a um ano;
  • 115 g/l de um ano à puberdade.

A taxa de hemoglobina indica uma anemia quando é inferior aos valores normais citados acima.

Volume globular médio ou VGM das hemácias ou glóbulos vermelhos

É o volume médio das hemácias, expresso em uma unidade chamada “fentolitro” (fl).

Normalmente, está compreendido entre 80 e 95 à 100 fl.

Se o valor for inferior a 80 fl, é possível confirmar o diagnóstico de anemia microcítica.

Concentração corpuscular média em hemoglobina ou CCMH das hemácias

É a quantidade de hemoglobina presente nos glóbulos vermelhos.

A CCMH normal está compreendida entre 32 a 36%.

Taxa de reticulócitos

A medula óssea produz constantemente glóbulos vermelhos que passam no sangue. Os reticulócitos são os glóbulos vermelhos produzidos recentemente pela medula.

Essa taxa permite saber se a produção dos glóbulos vermelhos está normal.

Taxa superior à 120 000 reticulócitos/mm3 corresponde a uma anemia regenerativa, que significa que o corpo fabrica mais glóbulos vermelhos para compensar a queda das taxas de hemoglobina;

Uma taxa inferior a 60 000 reticulócitos/mm3 revela uma anemia arregenerativa, que mostra que o organismo não é capaz de fabricar glóbulos vermelhos que faltam em razão da baixa de hemoglobina.

Dosagem de ferritina

Para responder a sua pergunta sobre como saber se eu tenho anemia devido à uma insuficiência de ferro, o médico solicita também a dosagem de ferritina.

A ferritina é uma proteína que assegura o armazenamento de ferro e está presente no sangue.

A taxa normal de ferritina está compreendida entre 20 e 400 ng/l, que pode variar segundo a idade e o sexo do paciente.

Uma quantidade inferior revela uma carência em ferro.

Vale ressaltar que no caso de uma inflamação ou infecção, a ferritina sérica pode ser normal ou mesmo aumentada e não reflete as reservas em ferro.

Dosagem do ferro sérico e da transferrina

Em certas situações, a dosagem do ferro sérico (presente no sangue) associada a uma dosagem de transferrina (transportador plasmático do ferro) é solicitada.

Então, todos esses exames são solicitados para confirmar o diagnóstico de anemia.

Como saber se eu tenho anemia: o que fazer após o diagnóstico?

Após ter confirmado o diagnóstico, o médico vai buscar a causa da anemia, para então indicar o tratamento.

Ele pergunta ao paciente como é a sua alimentação para saber se está obtendo a quantidade suficiente em ferro.

Se a alimentação não é um problema, ele pode solicitar outros exames para identificar os fatores que causam perdas sanguíneas visíveis ou invisíveis.

Por exemplo, presença de sangue nas urinas ou fezes, endoscopia, exame ginecológico, entre outros.

A opinião de um médico especializado é necessária, e em casos de fraqueza muscular, o paciente pode ser encaminhado para uma clínica ortopédica para descartar outro problema.

Como saber se eu tenho anemia: como tratar?

O tratamento para a falta de ferro necessita de medicamentos em ferro. Paralelamente, é indispensável tratar a causa da deficiência de ferro.

No caso do tratamento medicamentoso, é feito durante pelo menos três meses e os comprimidos são administrados no momento das refeições, para favorecer uma boa absorção do ferro.

Esse tratamento provoca uma coloração escura das fezes e pode causar dores abdominais, mas os efeitos podem ser contornados, por exemplo, tomar o medicamento com suco de laranja.

É importante avisar seu médico se você faz uso de outro remédio para evitar qualquer tipo de interação.

Além disso, paralelamente ao suplemento com ferro, é necessário tratar a causa da anemia, como um fibroma uterino, úlcera gástrica, uma doença celíaca…

Agora, se você perceber queda de cabelo, converse com seu médico, e provavelmente ele pode indicar comprar minoxidil, para estimular o crescimento dos fios.

Durante o tratamento, é necessário fazer o acompanhamento médico, e o paciente deve apresentar uma melhora dos sintomas após algumas semanas.

Dicas para prevenir a anemia

Para evitar o surgimento de uma anemia por falta de ferro, é recomendado adotar uma alimentação equilibrada e diversificada, com alimentos ricos em ferro.

Segundo a atleta e nutricionista Juliana Borges, você deve privilegiar os seguintes alimentos:

Carnes vermelhas;

Crustáceos;

Ovos;

Legumes, como espinafre, brócolis, couve;

Frutas ricas em vitamina C, como acerola, caju e abacaxi;

Leguminosas, como feijão e lentilhas;

Cereais.

Vale mencionar que a gravidez representa uma situação fisiológica particular, ao longo da qual as necessidades em ferro são aumentadas.

Na verdade, o ferro é necessário para o desenvolvimento do bebê e da placenta, assim como o aumento do volume sanguíneo da mãe.

O risco de anemia por falta de ferro é maior, principalmente no final da gravidez.

Se esse for o seu caso, é recomendado seguir uma dieta equilibrada. E se for necessário, o seu médico pode prescrever suplemento em ferro.

Considerações finais

Todas as suas dúvidas sobre como saber se eu tenho anemia foram respondidas?

Se você notar alguns dos sintomas listados acima, procure logo seu médico para identificar a causa da sua anemia e iniciar logo o tratamento!

 

Saiba aqui também: 5 Hábitos Essenciais Para Manter A Saúde Dos Olhos

 

Gostou? Compartilhe